Reflexão sobre o natal

  • Post published:24/12/2012

Caros irmãos e irmãs, amigos e simpatizantes do AUEA, em nome de toda a Espiritualidade que nos conduz, gostaríamos de agradecê-los pela convivência anual, onde acobertados pelas luzes dos Orixás e a sapiência dos Ancestrais trocamos energias incentivadoras á conquistas das benesses do espírito, nosso muito obrigado!

Estamos em plenas vibrações do natal, data festiva, fixa e comum no calendário terreno de vários povos de nosso querido Planeta Terra. Evento, que retrata o nascimento do maior emissário espiritual, condutor terreno no plano da forma. Embora, a festa seja “cultuada” pela maioria dos seres humanos é pouco explorada em seu sentido essencial. Geralmente, por contingencias capitalistas, ao chegar a época comemorativa do natal, infelizmente, nos confundimos pelos exageros, disto ou daquilo… e, equivocadamente, acabamos nos esquecemos do principal aniversariante do dia, JESUS!

Na realidade, dada ao consumismo e materialismo que envolve a humanidade transformamos Jesus em “Papai Noel” e pior vestido de vermelho, tal como estandarte, cuja propaganda, obrigatoriamente, deve ser o slogan mais vendável e rentável do mês… Por incrível que possa parecer, já na condição de cegos consumidos pelo sono hipnótico mercantil achamos que, ao agradarmos com um presente podemos inconscientemente, justificar através de um simples ato, a ausência de sabedoria e amor, que fatalmente, nos colocou em débito perante a própria consciência, ao ponto de sermos, ausentes, irresponsáveis, na sociedade, na família etc… Será que, realmente esta é a melhor postura? Creio que não! Talvez, eu esteja enganado, ao dizer que, o verdadeiro aniversariante sequer, passaria perto das casas que exploram o espírito natalino, tão somente regado a vinho, comidas, fogos de artifícios e presentes! Neste viés, penso que nós umbandista temos o dever de alertar que, o dia 25 de dezembro, embora seja data culturalmente importante e respeitada em quase todo o planeta, astrologicamente, está não é a data do verdadeiro nascimento do Cristo Jesus!

Até, onde sabemos e alcançamos, o Cristo Jesus era pisciano e não capricorniano. Segundo fontes históricas e mediúnicas, Jesus nasceu no final de fevereiro e início de março, sob a ascendência do signo de peixes. Assim, não aceitamos transformarem o “Grande Mestre Galileu”, em um estandarte de venda, cuja exploração capitalista e financeira zomba, escancaradamente, da fé dos ignorantes…

Lado outro, para todos os efeitos, não somos ignorantes, ao ponto de desrespeitarmos a data referente ao dia 25 de dezembro. Queiramos ou não, independente de ser a data um evento comemorativo convencional, nesta data a animosidade humana diminui induzindo os seres humanos à fraternidade. Isso, não quer dizer, que aceitamos a inversão de valores e alteração da verdade, como se fosse algo sem menos importância, principalmente por se tratar do dia do aniversário de nascimento de Jesus.

Ao refletirmos sobre a data, ainda que vibrada por energias festiva…, queremos dizer que, para nós da umbanda que cultuamos e reverenciamos os 7 Orixás, como emanações do Deus Uno, esta não deixa de ser uma oportunidade para fazermos um balanço de todo o período anual. Neste contexto, Jesus não pode ficar de fora, eis que é a emanação suprema a zelar por toda a humanidade. Aprendemos, ao longo dos encontros realizados no AUEA, que JESUS, na condição do “CRISTO PLANETÀRIO”, verdadeiramente, em espírito e verdade renasce todos os dias aos seus diletos filhos terrenos e, por isso deve ser cultuado dia e noite, noite e dia.

Queiram me desculpar pela figura de linguagem, mas não é exagero de nossa parte, quando assim nos expressarmos, principalmente, sabendo que somos carentes de luz na mente e paz no coração!

Assim, entendemos, porque sabemos que os ambientes sérios orientam a humanidade em sua caminhada evolutiva, motivo pelo qual não podem distanciar da fonte original, que se fortalece na mente e no coração excelso de Jesus, que caminha na vanguarda de todo movimento de renovação espiritual.

Sem muito rodeio, cronologicamente e astrologicamente, como já dissemos, estamos perto da data comemorativa, que evoca o final de um ciclo e início de outro. Fizemos de tudo durante este período, escolhas e ações certas ou erradas. Caberá, a cada um de nós avaliarmos para no balanço, sopesar se o tempo foi vivido de forma altruística ou não. A dica já demos, quando incentivamos os leitores a procurarem por Jesus, aproveitando o simbolismo de seu nascimento, a fim de reacender a fé, nos corações dos homens que se encontram perdidos, dentro de um cenário social extremamente materialista.

Para não perdermos o foco, reafirmamos que, a umbanda é caridade! Desta forma, uma das maiores caridade que o movimento umbandista presta é sem dúvida o esclarecimento espiritual. Ao falarmos de doutrina, que traz em seu corpo de conhecimento uma filosofia forte, cujos padrões éticos nos instruem de como se viver bem. Relacionamos Sabedoria e Amor, a fim de estruturarmos a vida, só assim teremos suporte para agirmos por métodos eficazes e seguros.

Por falar em Jesus, base de nosso diálogo, podemos inferir dos dizeres e ensinamentos bíblicos que, a parte divina quando extraída com propriedade não deixa de ser método à aplicação objetiva do evangelho. Não vamos negar, que os escritos apostolares referentes ao Cristo Jesus carrega em seu bojo, sua parte humana e sua parte divina. Não basta somente lê-los, é importante saber interpretar os seus significados. Convenhamos não são todos que estão preparados para defrontar com estas verdades… Fica-nos a dúvida, na Bíblia o que é humano e, o que é sagrado?

Gostaríamos de encerrar, este pequeno diálogo a respeito do natal com os dizeres abaixo. Os apontamentos são adaptação de algo que já escrevemos e, talvez para alguns dos leitores esta reflexão natalina não seja novidade.

Foram mais de 44 encontros realizados na Choupana do Caboclo Cobra Coral, que objetivaram acima de qualquer outra coisa o crescimento espiritual. Como dizíamos, não estamos trazendo nada de novo, nem reinventando a roda. Assim, mais uma vez insisto em alertá-los no objetivo principal da vida, ou seja, o despertamento do potencial espiritual. Dentre eles, citamos o poder de vontade! Este atributo espiritual só é efetivo quando exercermos o livre arbítrio, não se deixando subjugar-se por outra consciência individual ou coletiva, seja esta proveniente de Seres encarnados ou desencarnados. Lembram? A partir do momento que passamos a ser senhor de nosso próprio destino traçamos um caminho promissor rompendo os obstáculos que surgem na caminhada de cada um de nós. Desta forma, na condição senhor do próprio destino, adquirimos a capacidade de suplantar crises existenciais, encontrando respostas para os mais variados dilemas existenciais. Uso muito de um jargão, que já repeti muitas vezes conversando com vocês, que serve de alerta, principalmente aos mais “preguiçosos”, “As coisas são difíceis para as pessoas difíceis”.

Utilizamos de três ensinamentos no AUEA, que gostaria de compartilhar com vocês. Guardem, porque são desafios para todos nós que estamos encarnados buscando se encontrar. O primeiro deles; “se eu não temo a morte ao que é que vou temer”, serve em qualquer circunstancia da vida, pois amplia a nossa confiança no poder atemporal do espírito. Penso que, todos nós mais cedo ou mais tarde teremos que encarar a morte. Percebam, que senão temermos a morte, automaticamente, nos preparamos e nos condicionamos para vida. Para a grande maioria dos seres humanos, o fato de morrer, consequentemente, vai ser igual para todos. Morreu, morreu!

Morrer é pior ou é melhor que viver? Poucos conseguiriam responder esta pergunta com sobriedade. Aprendemos que, a morte é tão somente uma etapa da existência ou da própria vida, dentro do contexto terreno. Na hora que ela chega temos que de estar preparado para não sermos surpreendidos. Podemos afirmar e enfatizar ao dizer, “o que fizermos hoje, será nosso amanhã”, o que plantares aqui colheres mais a frente. A morte é o nosso principal desafio e obstáculo a a ser vencido, aos que não acreditam na eternidade do espírito. Ressaltamos muito a questão da morte, paradoxalmente, até dissemos que ela nos conduz a vida. Explicamos, para os mais jovens que estar aqui na condição de encarnado, manifestado através de 7 corpos, não é tarefa fácil. Por analogia, se perdermos um destes corpos, ficaremos mais próximo de nossa essência espiritual, ou seja, do espírito imortal. Então este é o primeiro ensinamento guardem isto e, lembrem-se, “Jesus não é Deus de mortos é Deus de vivos”!

O segundo, ensinamento, “Basta Antes agradar a Deus do que aos Homens” se o primeiro desafio é vencer o medo da morte, consequentemente, estaremos recobrando a consciência, mas como agradar a Deus? Agradar a Deus é buscar atitudes que efetivam mudanças positivas, internas e externas nas situações que bloqueiam a caminhada evolutiva. Agradar a Deus é em primeiro instante agradar a você próprio, mas de forma inteligente[1], sabia e amorosa. Não basta agradar de forma egoísta, individual, como é a praxe contemporânea. Acompanhem comigo, e atente-se para o fato, de que Deus é o Senhor de Vida e da Morte. Assim, se no primeiro segredo compartilhado é “Não temer a morte”, no segundo é “Agradar a Deus”, já o terceiro, “Se Deus é por mim, quem será contra mim”, que particularmente acho importantíssimo, principalmente, porque estamos encarnados, e somos vulneráveis a muitas forças que não conseguimos perceber ou dominá-las, fato este que se deve às limitações de nossos sentidos espirituais.

Lembrem que, na condição de seres humanos, somos vulneráveis, portanto, não são “Deuses”. Assim, necessitamos de muita simplicidade, humildade e pureza no percurso evolutivo, a fim de angariar pelas leis de reciprocidade a cobertura e providência Divina. Para nós humildade se reconhecer como verdadeiramente somos não querer ser mais do que realmente se é. Ao reconhecerem-se como espíritos não temerão a morte e agradaremos a Deus, consequentemente, deixaremos de ser complicados na vida. Para ficar mais fácil o entendimento, não compliquem a vida que naturalmente é simples e na pureza de propósitos deixarão de ser misturados. Resumidamente, sejam simples, puros e humildades, só assim renasceram no espírito vivificante e renovador de Jesus.

Não há como ser humilde, sem utilizar a inteligência a nosso favor e a favor de terceiros. Por sinal este é um dos atributos concedido pela Divindade a nós Seres Espirituais, ainda decaídos pela vaidade, prepotência, orgulho, etc todos gerados pelo egoísmo humano.

Reconhecer Deus como a mente superior é dar um passo importante na jornada e romagem espiritual. Não tenham dúvidas, Deus é quem pode realmente nos auxiliar nos momentos de necessidade, onde surgem as maiores dificuldades sem nos recriminar e Jesus é o seu maior expoente!

É importante, que os amigos guardem e exercitem os três “preceitos” citados anteriormente, não tenha dúvida, que vencerão 90% dos problemas e obstáculo que podem surgir em suas caminhadas terrenas ou astrais.

Finalmente, aproveitem a presença dos amigos espiritual, na egrégoras positiva do nascimento do Cristo Jesus, que sempre nos conduz à renovação de pensamentos e sentimentos. Absorvam as emanações de cura que descem de Aruanda, sob as bênçãos dos Orixás e eliminem os venenos que ainda tanto nos intoxica o espírito atrasando-nos na caminhada de renovação espiritual.

Com as vibrações de carinho e respeito carreadas de sabedoria e amor à toda a comunidade terreiro da Choupana do Caboclo Cobra Coral.

Se assim for permitido, sob o amparo de JESUS, que Deus, Zambi, Tupã nos abençoe hoje e sempre.

Saravá.

Marashitan

25/12/2012

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

SENHORA DA LUZ – QUEM ÉS? – Eu sou a Umbanda – Vibração mágica de amor e força – ELO envolvente que atinge a tudo e a todos! Como Expressão e Regra , sempre me apresentei Velada pelo próprio Manto do